.

Gênero e Tipologia Textual: é a mesma coisa?

Hoje em dia, sempre que se fala em leitura e produção de texto, é comum haver referência à expressão gêneros textuais do discurso. Estima-se, aliás, que existam mais de 5 mil gêneros em circulação na sociedade atual. Os gêneros do discurso fazem parte, portanto, de nosso dia a dia. Se queremos nos dar bem com a leitura e produção de textos, devemos conhecer um pouco sobre eles.

Definindo Tipologias Textuais

Trata-se da natureza linguística do texto. Logo, os textos, predominantemente, pertencerão à natureza:

  •  Narrativa: o mundo relatado;
  •  Descritiva: o mundo detalhado;
  •  Dissertativa: o mundo discutido.

Por exemplo:

- Os textos narrativos caracterizam-se por certos elementos, como personagens, o tempo, o espaço, o enredo e o narrador. Logo, a avaliação de um texto narrativo se pautará nesses mesmos elementos. Nessa situação, o professor-avaliador do texto atribuirá uma parte da nota para a construção do enredo, outra para a caracterização dos personagens, as descrições do espaço, e assim por diante.

- Os textos dissertativos caracterizam-se por certos elementos, como apresentação da posição (tese), argumentos e conclusão. Assim, a avaliação de um texto dissertativo se pautará nesses mesmos elementos. Nessa situação, o professor-avaliador do texto atribuirá uma parte da nota para a apresentação da tese, trabalho argumentativo (eles são coerentes e suficientes para validar sua posição?) e conclusão (retomada da tese ou mesmo apontamento de possíveis soluções para o problema posto em discussão).

Definindo Gêneros Textuais

São “ações tipificadas” produzidas em resposta a situações sociais recorrentes. Há que se ressaltar, que um gênero textual nasce de uma necessidade social.

 

Vamos a alguns exemplos de Gêneros Textuais:

 

Como se dá a escolha de um Gênero Textual?

Numa situação de interação verbal, a escolha do gênero textual é feita de acordo com os diferentes elementos que participam do contexto, tais como:

                I – quem está produzindo o texto;

                II – para quem;

                III – com que finalidade;

                IV – em que momento histórico, etc.

Isso porque, os gêneros discursivos geralmente estão ligados a esferas de circulação. Assim, na esfera jornalística, por exemplo, são comuns gêneros como notícias, reportagens, editoriais, entrevistas; na esfera de divulgação científica, são comuns gêneros como verbete de dicionário ou de enciclopédia, artigo ou ensaio científico, seminário, conferência.

Desse modo, os gêneros textuais que circulam na sociedade podem ser organizados em cinco grupos: gêneros do narrar, do relatar, do argumentar, do expor e do instruir.